Cansaço
Por uma rede de vasos capilares, os tecidos do corpo recebem oxigênio e nutrientes do sangue e devolvem excretas e gás carbônico. Quando a troca de substâncias (perfusão tecidual) se descompensa, você pode sentir fadiga. Ela também bate se falta ou há excesso de glicose (açúcar que vem dos alimentos, principalmente os carboidratos) no sangue.

Fique na boa Tome suco de frutas e legumes entre as refeições. A Autoridade Europeia de Segurança Alimentar, instituição que avalia a condição dos alimentos, descobriu que isso auxilia as células do sangue a se mover com maior facilidade. “Os antioxidantes dessas bebidas estimulam a dilatação e a constrição das artérias”, diz Miguel Moretti, cardiologista do Hospital São Luiz, em São Paulo. Ou seja, abrem caminho para a perfusão arterial rolar na boa. Sim, fruta carrega frutose, mas esse açúcar é de fácil digestão – não é do tipo que se acumula nas artérias.

Estresse
Quando você fica muito tenso ou nervoso, seu organismo libera o hormônio cortisol em excesso. “Isso dá viscosidade ao sangue e mais estresse no futuro”, diz Geeta Tailor, médico inglês. O cortisol consome água do sangue e deixa detritos metabólicos na corrente.

Fique na boa Coma 30 g (dois quadradinhos) de chocolate por dia – caso não tenha problemas de saúde como diabetes. Os flavonoides do doce auxiliam o corpo a processar óxido nítrico (substância de propriedades vasodilatadoras – libera espaço ao fluxo sanguíneo). Prefira o chocolate amargo: possui maior propriedade antioxidante.

Insônia
Você pode dormir mal se for deitar com muita glicose no sangue. Isso rola quando você come bastante carboidrato. Aí, seu estômago vai trabalhar para converter açúcar em energia, em vez de se dedicar ao que deveria. “De 0h às 3h, o organismo tem de se aplicar em limpeza e reparação”, diz Tailor.

Fique na boa À noite, não abuse nos carboidratos (arroz, massa, batata). Prefira carnes magras que exigem menos esforço do intestino, como peixe e frango. Coma oleaginosas (castanhas, amêndoas etc.): são ricas em triptofano, que incentiva o sono (leia mais em O Poder da Melatonina, pág. 46).

Matéria publicada na Revista Men’s Health de abril de 2012.